Código de Ética


Da Definição das Essências


Da definição e qualificação das essências florais (que compreendem as essências de flores, minerais, ambientais, e demais essências de campo de consciência).


Art. 3º : Define-se essências florais como: preparados naturais, artesanais, que trazem registrados em seu conteúdo, padrões de consciência originárias da natureza, que entram em ressonância com o campo da consciência de pessoas, grupos, coletividades, e demais seres vivos, ambientes e ecossistemas, agindo como princípios catalisadores que ativam processos de expansão e transformação do indivíduo, despertando talentos, virtudes e potenciais latentes e resultando na restauração da paz, harmonia e equilíbrio.


a) Pela sua própria natureza, as essências florais não têm um impacto direto sobre a bioquímica do corpo, como tem os alimentos, medicamentos farmacêuticos ou drogas psicoativas. Elas não são medicamentos e não substituem a necessidade de utilização de medicamentos e/ou cuidados médicos ou psicológicos.


b) Elas atuam por ressonância entre campos de consciência. Apesar de serem utilizadas prioritariamente na forma de gotas a serem ingeridas, por sua própria natureza consciencial, sua indicação para terceiros não se configura como prescrição de medicamentos podendo então sua indicação ser habilitada a profissionais especialmente formados para fazê-lo.


c) As essências florais são preparadas com água e conservante, usualmente brandy, álcool, vinagre, glicerina vegetal ou alcoolaturas. Os princípios catalisadores das essências florais são imateriais; portanto os elementos materiais, água e conservantes, são apenas veículos de seu conteúdo imaterial. É este conteúdo imaterial que caracteriza a essência floral, e não a água e o conservante, que são meros veículos que carregam o padrão de consciência.



Continua >>