Estatuto Social

Página 01

Associação dos Terapeutas Florais do Estado de São Paulo -  SPFLOR


CAPÍTULO UM

Da denominação, da Natureza, Sede, Prazo de Duração, Missão e Finalidades


Art. 1º  - Sob a denominação de “ASSOCIAÇÃO DOS TERAPEUTAS FLORAIS DO ESTADO DE SÃO

PAULO”, ou pela forma abreviada “SPFLOR”, fica instituída esta associação sem fins econômicos ou lucrativos, politicamente apartidária e isenta de discriminação religiosa, étnica, de gênero ou de classe. Sua atuação se restringirá ao Estado de São Paulo. Seu caráter será profissional, científico, didático, cultural e social,

economicamente independente e com personalidade jurídica própria, regida pelo disposto no presente Estatuto e

pelas normas legais pertinentes.


Art. 2º - A SPFLOR terá sua sede e foro na cidade de São Paulo, à Avenida Professor Alfonso Bovero, 523 -

apto. 72 - Sumaré, São Paulo, Capital, podendo abrir núcleos em todo o Estado de São Paulo.


Art. 3º - O prazo de duração da SPFLOR é indeterminado.


Art. 4º - A SPFLOR tem por missão institucional a defesa dos interesses do terapeuta floral e a promoção da

qualidade de vida do ser humano e do meio ambiente, através da utilização das Essências Florais.


Art. 5º - São finalidades da SPFLOR:

I - Congregar os terapeutas florais do Estado de São Paulo;

II - Promover a autorregulamemação da profissão de Terapeuta Floral;

III - Propiciar a aplicação do Código de Ética dos terapeutas florais;

IV - Definir, viabilizar e implementar normas para proteger o exercício profissional desta categoria, para que ela

cumpra com sua responsabilidade social;

V - Elaborar o regimento interno da Associação;

VI - Fomentar a divulgação e conscientização sobre a verdadeira natureza das essências florais e sua filosofia;

VII - Definir os parâmetros da formação profissional necessária para o exercicio responsável da profissão,

executando programas de qualificação e requalificação dos profissionais e/ou de treinamento de agentes comunitários;

VIII - Promover intercâmbio com entidades científicas, de ensino e de desenvolvimento social, nacionais e internacionais, bem como o desenvolvimento de estudos e pesquisas, de tecnologias alternativas, produção e divulgação de informações e conhecimentos técnicos e científicos;

IX - Promover ações isoladas ou conjuntas com outras entidades na defesa dos interesses da categoria;

X - Estabelecer convênios com entidades, empresas públicas e privadas, associações, prestadores de serviços públicos

e planos de saúde, para o credenciamento dos profissionais da categoria;

XI - Definir e implementar parâmetros sobre os limites, a propriedade e a formação necessária para a utilização das

essências florais por profissionais de outras áreas, como ferramentas adicionais em seu próprio quadro ou contexto

profissional, visando a proteção dos usuários e do mercado de trabalho dos terapeutas florais;

XII - Fomentar, orientar e executar projetos sociais com as Essências Florais;

XIII - Defender os interesses coletivos e difusos relativos à profissão, à classe e seus profissionais, utilizando-se para

tanto de quaisquer instrumentos, ações ou meios idôneos prescritos ou não defesos no ordenamento jurídico pátrio;

XIV - Filiar-se a outras associações de classe, federações e conselhos nacionais, desde que atuem na área da Terapia

Floral;

XV - Promover a qualidade de vida, a ética, a paz, a cidadania, os direitos humanos e outros valores universais;

XVI - Desenvolver quaisquer atividades necessárias ao cumprimento de sua missão institucional e objetivos acima elencados;


Parágrafo Único - A dedicação às atividades acima previstas contigurar-se-á mediante a execução direta de projetos,


Continua >>