Estatuto Social

Página 08

III - Organizar campanhas de prestação de serviço da Associação à comunidade, respaldando ações ligadas à

responsabilidade social;

IV - Promover ações que se destinem à arrecadação de recursos para que a SPFLOR possa cumprir sua missão

institucional e finalidades, tais como eventos sociais, bazares, revenda de produtos, produção e venda de objetos

com o logotipo da Associação, dentre outras, desde que os recursos arrecadados sejam aplicados no

desenvolvimento da mesma.


CAPÍTULO NOVE

Das Comissões


Art. 38 - A Comissão de Ética tem por finalidade implementar e fazer respeitar o Código de Ética do

CONAFLOR, também ficando a seu cargo a análise de quaisquer situações ou atitudes relevantes dos associados,

relacionadas com a ética profissional.

I - Através de regimento interno aprovado pela Assembleia Geral serão definidos e delimitados os poderes

normativos e reguladores da Comissão de Ética.


Art. 39 - A Comissão Pedagógica tem por finalidade coordenar o processo de definição dos parâmetros para a

formação e qualificação dos terapeutas florais, assim como do currilculo e carga horária dos cursos de formação para os diversos graus e categorias de terapeutas florais. Tais parâmetros deverão ser referendados por Assembleia Geral.

I - Caberá à Comissão Pedagógica a análise do curriculo e prática dos profissionais já existentes e definição das

necessidades de complementação ou reciclagem para tais profissionais, a partir de critérios aprovados em Assembleia Geral.


Art. 40 - Outras Comissões poderão ser criadas a critério da Diretoria, desde que aprovadas pela Assembleia Geral.


Parágrafo único - Os pareceres da Comissão de Ética, da Comissão Pedagógica e de outras que venham a ser criadas, deverão ser encaminhados para a Diretoria Executiva que poderá ou não referendar tais pareceres do Regimento Interno disporá sobre os casos de não aceitação dos pareceres por parte da Diretoria.


CAPÍTULO DEZ

Do Conselho Fiscal


Art. 41 - O Conselho Fiscal, órgão responsável pela fiscalização da gestão administrativa e economico-financeira, é composto de 3 (três) membros efetivos e 3 (três) membros suplentes, todos eleitos pela Assembléia

Geral, com mandato de 2 (dois) anos, admitida uma (l) reeleição consecutiva.

I - O Conselho Fiscal elegerá um de seus membros titulares para Presidente do Conselho Fiscal;

II - O Conselho Fiscal reunir-se-á ordinariamente a cada semestre ou extraordinariamente sob a convocação de

seu Presidente, a pedido do Diretor Presidente ou da Assembleia Geral.


Art. 42 - Compete ao Conselho Fiscal:

I - Analisar, dar parecer sobre o relatório anual de atividades e o demonstrativo de receitas e despesas da

SPFLOR e encaminha-lo à Assembleia Geral;

II - Apontar eventuais irregularidades, sugerindo medidas saneadoras;

III - Fiscalizar o uso patrimonial da SPFLOR, em observância aos objetivos originais;

lV - Propor alterações orçamentárias devidamente fundamentadas;

V - Lavrar em livro próprio as atas de suas reuniões.


Parágrafo único: Os membros do Conselho Fiscal não recebem qualquer remuneração seja a qualquer título.


CAPÍTULO ONZE

Do Patrimônio e das Receitas


Art. 43 - A SPFLOR gozará de autonomia financeira e administrativa, nos termos da lei e deste Estatuto.


Continua >>